10 Anos, 50 Séries – Parte 2

Esta parte tem a responsabilidade acrescida de tentar ser interessante. É que os últimos e os primeiros do ranking o pessoal ainda tem interesse em saber, agora os do meio?! Mas vá, aqui estão séries bastantes boas que não devem ser ignoradas. Não deixem que o meu gosto interfira naquela opinião que têm pré-formada por uma imagem que uma vez viram num sitio qualquer…Vamos então para a segunda parte da melhores séries entre 2010 e 2019!

Nota: cliquem no nome das séries para verem os respectivos trailers.

XL Rectify

Um homem é libertado depois de 17 anos preso por um crime que pode ou não ter cometido. Agora tem de lidar com o trauma do isolamento, o drama familiar e reacção da sociedade à sua libertação.


Não é uma série fácil de ver considerando o seu ritmo. É das mais contemplativas e lentas que já vi e isso acrescenta beleza à cinematográfia. Daniel Holden e Abigail Spencer estão excelentes.

XXXIX What We Do in the Shadows

Um mockumentary sobre um trio de vampiros e a sua adaptação ao mundo moderno.


Havia um certo receio que as piadas pudessem tornar-se cansativas com o tempo mas isso não acontece na temporada já exibida. O estilo de humor encaixa-se bem ao meu gosto. Kayvan Novak, Matt Berry, Natalia Demetriou e Mark Proksch são excelentes e podem contar com vários cameos famosos ao longo da temporada.

XXXVIII The End of the F***ing World

Dois jovens decidem fugir de casa e, enquanto se apaixonam, deixam pelo caminho um rasto de crime.


A narração, a representação e a cinematografia têm uma originalidade que acaba por destacar a série. Uma série que se vê em dois instantes e que merece a vossa total atenção. A segunda temporada não fica abaixo da primeira em termos de qualidade.

XXXVII Person of Interest

John Reese é um agente da CIA assumido como morto. Harold Finche é um bilionário que o recruta. Juntos vão impedir crimes violentos antes destes acontecerem, com recurso a um sistema de vigilância que Finch criou.


Procedural feito bem. Os episódios seguem o modelo do costume, mas há uma história central bem contada. Jim Caviezel e Michael Emerson lideram um elenco com excelentes personagens femininas (Amy Acker, Taraji P. Henderson e Sarah Shahi). Podem pegar à vontade, porque a história tem um fim.

XXXVI Outlander

Claire viaja acidentalmente no tempo, de 1945 para a Escócia de 1743. Rapidamente se vê dividida entre dois mundos.


Actualmente é mais uma “novela cara” que um period drama. Ficamos com a sensação que o mundo é demasiado pequeno para estas personagens e que de facto tudo lhes acontece por força de um enredo que precisa de ser alimentado. Mas as primeiras temporadas não são assim. É uma história interessante, com um elenco competente e uma fotografia bonita. A quimica entre Caitriona Balfe e Sam Heughan é inegável.

XXXV The Last Kingdom

Numa época em que Inglaterra ainda é um conjunto de reinos, um guerreiro tem de escolher entre a sua herança nórdica e a lealdade ao rei.


Esta é a série que Vikings se esqueceu de ser, com uma história leve e focada na acção. Alexander Dreymon é carismático e lidera um elenco competente.

XXXIV The Ricky Gervais Show

Baseado nos podcasts com o mesmo nome. Ricky Gervais e Stephen Merchant exploram a mente peculiar de Karl Pilkington.


Uma deliciosa animação que dá imagem aos pensamentos tresloucados de Karl. Ideal para quem é fã de Ricky e das suas gargalhadas, e há muitas, porque Karl é de facto uma “personagem” que vale a pena conhecer.

XXXIII Mindhunter

Na década de 70, dois agentes do FBI aliam-se a uma psicologa forense para estudar a mente de homicidas em série.


Esta não é tanto uma série sobre crime e investigação, mais sobre o estudo da mente do que viriam a ser apelidados de serial killers. Um drama excelente, com actores excelentes. A produção da T3 está em stand by de momento.

XXXII Brooklyn Nine-Nine

O dia-a-dia de uma esquadra de polícia e dos seus detectives.


Uma excelente comédia com momentos de puro génio. Sou fã assumido de Andy Samberg, mas a verdade é que o elenco é tão diverso que é fácil encontrarmos alguém com que nos identificarmos. Andre Braugher é um fenómeno escondido da comédia! Ideal para quem procura entretenimento enquanto faz outras actividades pela casa.

XXXI Big Little Lies

Um grupo de mulheres numa localidade rica dos EUA vivem aparentemente uma vida perfeita, até acontecer um homicidio…


A primeira temporada é um excelente drama que faz muito bem uso do flashback para manter o mistério. Um elenco superstar demonstra bem que a vida priviligeada desta gente está cheia de drama, falsidade e problemas comuns. A T2 conta com Meryl Streep mas cai bastante a nível de história. Nicole Kidman assume um papel de maior destaque e o foco da série muda. Ainda assim, mantém-se um excelente produto televisivo.

Partilha o post do menino no...