A destruição do poder (feminino) de Game of Thrones…

Há quem diga que a série começou a fraquejar na T5 (quando se aventurou para lá da obra de GRR Martin), mas como para mim a T6 foi boa, não entro nessa camioneta. O que posso dizer é que a oitava mostra (e muito) o quão inexperientes são os maestros da orquestra.

Para os que não sabem, D.B. Weiss e David Benioff tinham pouca ou nenhuma experiência antes de Game of Thrones, ao ponto do piloto ter de ser “re-feito” (podem ver entrevista aqui). Enquanto o material literário ajudava, as falhas passavam despercebidas, mas not anymore. Actualmente não se fala das incriveis reviravoltas politicas, as manchetes são sempre sobre mais um recorde batido (maior batalha, maior audiência, maior número de noites a filmar), no tempo dos episódios (“são seis filmes!”) e no dinheiro gasto na temporada.

A temporada actual sofre de um incrivel problema de ritmo. Se por um lado os dois primeiros episódios resultariam muito melhor como um de hora e meia, por outro tudo está acelerado ao ponto de não fazer sentido (sim, sempre houve “teletransportes”, mas agora anda um exagero!). Num episódio temos Dany a fazer Winterfell-Dragonstone-King´s Landing e noutro temos Tormund a descrever que foi amamentado por uma gigante… num temos Missandei a aparecer como que por magia no Red Keep, no outro temos Bran a dizer pela trigésima vez que não é ninguém e a falar da origem da sua cadeira de rodas. A temporada está cheira de reuniões de personagens que em nada acrescentam ao seu enriquecimento. Fan service para ti, fan service para mim…

Winterfell

  • Sansa não só diz que foi devido à violação que se tornou uma mulher mais forte, que por si só já é mau, mas é responsável por espalhar o “segredo” de Jon imediatamente. O segredo não lhe foi contado no segundo episódio e só agora desabafa com Tyrion… foi literalmente na sua cena seguinte!
  • Arya diz a Jon que Dany não é de confiar porque não é “uma de nós”. Estamos a falar de uma personagem que enriqueceu ao viajar por todo o lado e conhecer várias pessoas, qual a lógica de não confiar “na estrangeira”? Mais, argumenta que são uma familia e, novamente, na sua cena seguinte, está de partida de Winterfell com o Hound. Dizendo que não pensa regressar e não se despedindo de ninguém.
  • Dany repara que Jon é adorado pelas pessoas que o rodeiam, algo que é perceptível desde que chegaram a Winterfell. Era apenas necessário que ela “visse” agora para aprofundar o seu isolamento. Além disso, Varys argumenta que o povo aceitaria Jon com muito mais facilidade… será?! Além do Norte, quem conhece Jon? Ele nem sequer conseguiu que todas as Casas do Norte lutassem na Batalha de Winterfell. Qual o fundamento de queimar uma quantidade obscena de orçamento em animar uma viagem de dragão pelos céus de Winterfell, para Rhaegal morrer três episódios depois? O que fez Jon de especial no seu dorso na Batalha de Winterfell? Enquanto que o lobo que está com ele desde o piloto, que o defendeu, que cresceu com ele, que esteve aos seus pés quando estava morto… teve direito a um aceno. Os responsáveis pela série dizem que é dificil animar em CGI o lobo gigante e eu recordo que Jon passeou num dragão e houve uma luta entre dragões à noite, no meio do nevoeiro, que resultou em porra nenhuma. Quando Jaime partiu de King´s Landing, já nevava (mas Dany parece estar novamente às portas de Qarth) mas seria muito calor para Ghost se dar bem.
  • Não menos importante é o arco de Brienne e Jaime. Jaime sempre pôde ser sincero com Brienne, afinal de contas ela conhece os seus segredos mais intimos. Mas no mesmo episódio em que fazem o fan service de os juntar (porque ter uma amizade forte e um sentido de honra não chegava), separam-nos com base numa mentira. PS para Gendry, o homem que conhece minimamente Arya, a pedir que seja a sua lady em Storm´s End…
  • Vamos ignorar que Tyrion, “goza” com Brienne por ela ser virgem, só para plot device, pode ser?!

Dragonstone

  • A minha previsão era que Daenerys regressava a Essos, percebendo que Westeros não é a sua terra e que é mais amada no outro Continente. Mas não, acharam por bem transforma-la numa rainha louca. Tyrion que raramente se enganou em sete temporadas, passou a falhar a 100% e surge uma avalanche de motivos para que ela sofra um whiplash emocional. Podem argumentar que sempre deu sinais de mau temperamento, mas há sinais e há o que aconteceu neste episódio. Varys, que a defendia sem a conhecer, e agora a quer trair por alguém com pila à primeira oportunidade…
  • Rhaegal não cai quando luta com os mortos. Rhaegal não morre a proteger a mãe ou Jon num heroico momento contra o Night King. Rhaegal cai porque a série quer convencer-nos que Daenerys não conseguiu ver uma frota de dozes navios do céu, porque Dany passeia com os dragões como se estivesse em tempos de paz, porque Dany não deixou nem um gajo a guardar Dragonstone que os pudesse avisar… porque a série achou que Euron Greyjoy, essa personagem pilar e super desenvolvida, consegue atingir um dragão a centenas de metros, em pleno voo, três vezes seguidas, e falhar sempre quando outro voa na sua direcção. E assim cai Rhaegal, para surpreender, I guess.

King´s Landing

Euron Greyjoy não acha estranho que Tyrion saiba do bebé, ninguém acha estupido e redundante haver uma mediação com Cersei depois desta ter mentido sobre enviar o seu exército para Norte e ter morto Rhaegal. Ninguém acha estranho que Cersei não tenha dizimado logo os seus inimigos todos naquele momento, miseravelmente expostos e desprotegidos. O que as pessoas deveriam achar estranho é que Cersei, tal como Ramsay no seu tempo, precise de mostrar novamente que é uma pessoa ruim. A morte de Missandei não atinge absolutamente nada além de salientar um ponto provado. Cersei podia ter ao menos cometido o crime por ela, mas teve de pedir ao homem grande… A morte atinge Dany como que mais um prego no caixão, numa retórica que nos enfiaram pela goela abaixo num só episódio.

No final, temos uma completa deturpação de quase todas as personagens, que de uma maneira ou de outra traem o que construiram ao longo de temporadas inteiras ou traem o mundo que GRR Martin construiu para elas (e eu não li os livros, apenas sei uma grande parte do lore). Se a esta catastrofe, com poucas chances de ser emendada, salientarmos tudo o que as personagens femininas regrediram em 80 minutos, tudo fica mais triste: duas rainhas loucas, Brienne a chorar em pijama por um homem, Sansa a falar dos beneficios da violação para o caracter e proliferação do mito que as mulheres são umas fofoqueiras, Missandei (50% das personagens de cor na série) a morrer sem necessidade… e depois lembrem-se do que foi feito com Ellaria e as Sand Snakes (se ainda tiverem dúvidas).

Mas não se preocupem, pois parece que vem aí outra batalha no episódio cinco, que será em grande e bateu algum recorde e pode ser que o pessoal não se lembre disto…

King´s Lading… se alguém me conseguir explicar onde fica a imagem do último episódio, eu agradecia…

Partilha o post do menino no...