As melhores personagens de 2018…

Encerro as minhas listas de 2018 com as performances mais marcantes, na televisão e no cinema.

Barry Berkman – Barry

Bill Hader é um talento reconhecido da comédia e, como ultimamente temos visto, isso quase sempre se traduz num talento para o drama. Barry permitiu a Hader explorar a estranheza de um assassino profissional a descobrir o amor pela representação. Há um elenco secundário precioso na temporada, mas é ele que faz tudo fazer sentido.

Benjamin Poindexter – Daredevil

Numa série com um protagonista e vilão tão bons, era expectável que o brilho de um novo antagonista fosse ofuscado. Mas a verdade é que Wilson Bethel foi mais um pilar de uma temporada incrível. Não regressará no papel, mas com certeza que os directores de casting repararam e vamos ver muito mais dele no futuro.

Camille Preaker - Sharp Objects

Gosto pessoal por Sharp Objects à parte, não há como não reconhecer Amy Adams. Não é que tenha sido surpresa para ninguém, aliás, às vezes podemos ser condescendentes e assumir o brilhantismo como dado adquirido. Mas não deveria ser assim e Amy merece quase tudo o que vier de prémios.

Hormone Monstress - Big Mouth

Aposto que dar vida a uma monstra das hormonas que assola mentes de adolescentes não estivesse nos sonhos de criança de Maya Rudolph, mas o range que a actriz demonstra é para lá de incrível. Permite-lhe dar asas a toda a maluqueira e nós agradecemos por isso.

Howard Silk – Counterpart

-“Temos o J.K. Simmons como protagonista... como é que fazemos para o incluirmos no máximo de cenas possível?!” - "Pah, só se criarmos dois Simmons!”. E pronto. Há momentos em que Silk A se faz passar por Silk B e é possível ver Simmons dar vida a essa adaptação… é preciso dizer mais?!

Midge Maisel - The Marvelous Mrs. Maisel

Rachel Brosnahan deve precisar de um mês em silêncio para recuperar das temporadas nesta série... Adoraria ver a quantidade de paginas de guião que tem de decorar, mais a preparação de certas cenas em que tem de interagir com outros/coisas e fazê-lo a um nível estelar.

Mooncake - Final Space

É um “ovo” verde, que não profere nenhuma palavra, apenas sons fofos. Se se estão a questionar porque raio está nesta lista… vejam a (pequena) temporada.

Offred - The Handmaid´s Tale

Elisabeth Moss. Ponto final.

Frank Griffin – Godless

Jeff Daniels ainda é para mim o gajo de Dumb and Dumber… perdoem-me se ainda fico admirado quando o vejo a brilhar assim! Godless vale principalmente por ele.

Luca Changretta - Peaky Blinders

Não arrisco a nomear Peaky Blinders como a melhor série dramática em exibição, mas está bem lá em cima no top. Adrien Brody foi a novidade da última temporada e dá vida a um mafioso italiano. Uma excelente interpretação de um actor que se vê pouco actualmente.

No cinema…

Ethan Hunt (Mission Impossible: Fallout): Mostrou que enquanto Tom Cruise continuar para as curvas, eu recebo-o de braços bem abertos. Não há pernas partidas que o segurem e continua a fazer isto como ninguém. Freddie Mercury (Bohemian Rapsody) revelou ao mundo o que a malta de Mr. Robot já tinha percebido: Rami Malek é sinónimo de talento e merece tudo o que o sucesso deste filme lhe vai trazer. Nikita Khrushchev (The Death of Stalin): Que saudades tinha eu de Steve Buscemi… saudoso Boardwalk Empire!… Aparece mais vezes Buscemi, é sempre um prazer ver-te! Thanos (Avengers: Infinity War): Seria facil para Josh Brolin fracassar no filme mais esperado de sempre, em que dá vida a um gajo com escroto no queixo. Mas não só o tornou memorável como fez de Thanos o melhor de um colectivo com os maiores nomes de Hollywood. Bravo.

Partilha o post do menino no...