Eu já fui à Lua…

[NÃO CONTÉM SPOILERS DE “FIRST MAN”] Damien Chazelle tem no curriculum como realizador três projectos: Whiplash, La La Land e First Man. A isto chama-se saber o que se está a fazer…

O filme tem a capacidade de nos transportar para um dos marcos mais famosos da história e ainda assim conseguir ser revelador, injectar adrenalina, beleza e suspense. Os pormenores que são revelados (talvez para os mais eruditos nem tanto) fazem toda a diferença para percebermos “o” Neil Armstrong. Não é só a história dos oito anos que levaram o Homem a um incrível feito, é a viagem de um homem pela perda, amor e dedicação.

Ryan Gosling surpreenderá apenas os mais desatentos. É verdade que o trabalho do realizador foi muito importante para transmitir todas as nuances de um parafuso solto a quilómetros de altitude, mas a solidez de Gosling acentua tudo muito mais. Poderão dizer que deu mais uma vez uma performance “robotizada”, mas nos momentos em que a personagem se permite sentir, seja a chorar ou a rir, é aí que ele mais brilha. Já Claire Foy não me fascinou tanto. Não porque tenha sido má, bem longe disso, mas porque não houve nada que a diferenciasse de outra actriz no mesmo papel (e houve alturas em que me pareceu que o seu sotaque andou a “dançar”).

É importante referir que o filme poderia ser um pouco mais curto (pensei por duas vezes que iria terminar, mas o filme sacou uns “Regresso do Rei” algumas vezes), mas as duas cenas finais são de um impacto tão grande que é impossível ficar zangado. Abdicava bem do shaky cam em cenas com os pés bem assentes no chão, aliás, não entendo a necessidade de uma caminhada no jardim provocar mais enjoo no espectador que uma queda livre de um avião. O restante elenco é forte, há comédia, há drama pesado e uma acção absolutamente incrível. Tenho honestamente pena de saber o desfecho do filme, caso contrário o último terço seria mais intenso. Espero que o pormenor na Lua , de Neil Armstrong, seja de facto verdade. Seria uma desilusão se se tratasse apenas de liberdade artistica.

Não posso sobrevalorizar este ponto o suficiente: First Man é o mais próximo que podemos estar de experienciar uma viagem ao espaço/Lua. Técnicamente roça a perfeição e a maneira como a imagem e o som brincam com os nossos sentidos prega-nos ao assento. Deve ser experienciado numa sala de cinema ou pelo menos com um bom sistema de som surround.

Partilha o post do menino no...