Killing Eve 3×01 – De ramo em ramo, o macaco sem rumo…

[NÃO CONTÉM SPOILERS DE KILLING EVE 3×01] A série tenta recomeçar todas as temporadas, esta terceira confirma-o. Mas pelo menos ninguém a pode acusar de ser chata…

Tive a oportunidade de visualizar o primeiro episódio da nova temporada (Slowly Slowly Catchy Monkey), temporada que foi antecipada em duas semanas para aproveitar que toda a gente já está em frente ao sofá. Após um segundo capítulo que, quer se tenha gostado muito ou pouco, reúne consenso de que foi uns furos abaixo do fantástico primeiro, os fãs questionam-se se há agora um caminho a percorrer. Se há uma história que valha a pena contar ou só estamos a “virar frangos”. Eu sei que só vi um episódio, mas receio ter más notícias.

A quase icónica Phoebe Waller-Bridge orientou a primeira temporada e a série segue a tradição de ter uma nova capitã ao leme, mas o problema não é esse. Tanto Sandra Oh como Jodie Comer estão de regresso com o seu estilo característico (Villanelle continua a ser das personagens mais bem vestidas da televisão) e adicionando Harriet Walter (Succession), Danny Sapani (Harlots) e Gemma Whelan (Game of Thrones) à classe de actores, mas o problema não é esse. A série é cruel e amorosa quando tem de ser e promete alguns twists surpreendentes, mas o problema não é esse.

O problema é que a série tem um problema grave de premissa. Chama-se “Killing Eve”. O que a série tem feito até agora é afastar o duo no início da temporada, fazê-las encontrarem-se a meio e vê-las a batalhar (entre elas e consigo mesmas) sobre o que fazer no final. Até o arco de Villanelle esta temporada parece uma cópia da T2. Esta temporada promete mais do mesmo em demasiados aspectos. Comecei por dizer que a série não pode ser acusada de ser chata/previsível, e a verdade é que há estímulo suficiente para nos manter entretidos, mas é só. Falta o brilho no canto do olho, uma nova história para contar. O problema é esse.

Se aceitarmos que Killing Eve é “só” isto, com momentos em que as personagens fazem umas “palhaçadas” para nos manter entretidos, então podemos desfrutar de uma série só mediana. Veremos se engulo as minhas palavras depois dos oito episódios. Adoraria, mas não me parece.

Poderão acompanhar a série, em exclusivo, na HBO Portugal a partir de 13 de Abril.

Partilha o post do menino no...