Os filmes que não devia ter visto em 2018 e quero ver 2019…

Como blogger que me prezo, tenho de atirar madeira para a fogueira, por isso, seguem-se listas de tudo e mais alguma coisa no que toca a 2018. Como estamos neste ano, e não quero ofender alminhas, convém realçar que esta é uma lista estritamente pessoal não pretende ser dogmática. O meu standard baixinho para filmes este ano deu asas a que tenha tolerado absolutos baldes de estrume. “Porque não viste um dos 550 episódios em atraso?!”, “Porque não viste aquele filme que sabes que é bom?!”. Perguntam vocês e pergunto eu… Seguem-se então os piores filmes de 2018:

Maze Runner: Death Cure

Lista de coisas que mais gosto neste mundo: novelas juvenis compostas por multi-filmes - novela que vai diminuindo progressivamente de qualidade. Há o mérito de realmente conseguir acabar a história (algo que “Divergent” não conseguiu) mas pouco mais há a elogiar aqui. Personagens tipo, história tipo, qualidade tipo. Espero que este seja o ultimo suspiro desta vaga de filmes...

Rampage / Skyscraper

No mundo cinematográfico de The Rock (TRCU) a variedade é pouca e a consistência muita. 2018 começou com a surpresa Jumanji até o mais optismista, mas o restante custou tanto engolir como tarte de pregos com lixa. Rampage e Skyscraper poderiam ser o mesmo filme porque no núcleo pouco têm de diferente. Eu ainda acredito que Dwayne terá de deixar-se destas coisas, mas pelo menos para já a bilheteira está com ele.

When We First Met

Os 13 mil milhões de dólares que a Netflix atira para o mercado têm o mesmo efeito que atirar 13 mil milhões de dardos = algum acertará no meio. Mas para isso acontecer temos de ver muita palha e este é exemplo disso mesmo. Eu gosto muito da Daddario, muito... tipo, mesmo muito... mas tem feito cada coisa! Esta comédia romântica, que põe um visto em todos os clichés, é daqueles que até num chuvoso domingo de preguiça mental deve ser evitado.

A minha lista de mais desejados para 2018. Hit and miss... As surpresas vão para o quanto gostei de Fallout e o quão triste foi Mortal Engines.

Lista para 2019... sabendo à partida que alguns vão passar tão ao lado que vai doer. Avengers: Endgame é óbvio, mas estou particularmente curioso por ver o estrondoso talento colectivo presente em Once Upon a Time in Hollywood .

Outros que Buda me livre…

Alpha estava na minha lista de mais antecipados do ano e foi mais uma água friinha. A cinematografia que o trailer prometia não foi correspondida e esbarrou numa história conservadora. Annihilation fez por mitrar algumas mentes, houve quem deixasse e quem resistisse. Talvez seja da minha idade ou gosto pessoal, mas quando me tentam fod**, prefiro que me paguem um jantar primeiro. Equalizer 2 segue a tendência de Taken, em que vemos os melhores actores de Hollywood a fazer más sequelas sem que percebamos o porquê. Há mesmo tanta escassez de papeis para Washington e Neeson que se tenham de sujeitar a isto?! Jurassic World: Fallen World assumiu a campanha de emburrecimento global em 2018… Mortal Engines mostra-nos que essa campanha pode ser bonita por vezes e ter uma ideia até engraçada mas desaba como perninhas de esferovite… Pacific Rim: Uprising ensinou que por vezes a campanha mudou de porta-voz com intenção de dar outro sabor ao veneno, sem sucesso… Sicario 2, Tomb Raider e Venom evidenciam que grandes actores foram recrutados para nos atirar areia para os olhos… Coube a nós resistir, ou ser mais um “cagalhão ao vento”.

Filmes meh 2018:

Ant-Man and the Wasp é um filme da Marvel Fase I inserido na Fase 4. Game Night figura em listas de melhores do ano, mas não me conseguiu agarrar. 2018 provou que é possível fazer westerns sem ter ritmo de western, Hostiles fracassou neste teste. Ready Player One é um “ok” que nos entretém no cinema mas que quanto mais pensamos nele mais nos irrita. Aconteceu comigo à segunda visualização, com mais gente também. Upgrade pode até nem ter uma premissa original, mas o trailer prometia algo fresco. Não foi. Ainda assim, melhor que 95% dos filmes de ação que tenho visto…

Partilha o post do menino no...