Os filmes que vi em 2018…

Dezembro, aquela altura do ano em que somos bombardeados cada vez mais (e mais cedo) com… listas. Como blogger que me prezo, tenho de atirar madeira para a fogueira, por isso, seguem-se listas de tudo e mais alguma coisa no que toca a 2018. Como estamos neste ano, e não quero ofender alminhas, convém realçar que esta é uma lista estritamente pessoal não pretende ser dogmática.

Convém afirmar que não tenho levado ao cinema tão a sério como a televisão nos últimos tempos. Não é que faça questão de só ver bosta, mas procuro entretenimento em prol de algo que sei que tem verdadeira qualidade. Sendo assim, há ausências (graves) no curriculum: The Favourite, Widows, Outlaw King, A Star is Born, Blackkklansman, A Quiet Place, Eight Grade…e com esta enorme cara envergonhada… os meus melhores filmes de 2018:

Avengers: Infinity War

Parece que já estou a ver os verdadeiros apreciadores de bom cinema a revirar os olhos por esta escolha. A verdade é que Infinity War é mais que um simples filme de super-heróis. É uma meta (primeira metade de uma pelo menos) ao fim de 10 anos, que de facto cumpre com as expectativas. Faz-nos pensar o quão melhor seria o MCU se todos os vilões tivessem este polimento. Mais aqui.

First Man

Podem ler a análise mais alargada aqui, mas importante é referir o feito visual e auditivo deste filme. Damien Chazelle é de facto um nome a acompanhar com muita atenção no futuro e Ryan Gosling merecia mais reconhecimento pelo seu desempenho.

Incredibles 2

Por falar em expectativas alcançadas… The Incredibles é daqueles legados que é preciso muito cuidado em manusear, tal é a sensibilidade de quem o reclama como simbolo de juventude. A sequela não só tem uma animação incrível, como dá continuidade ao que de melhor o original teve. É verdade que poucos riscos foram testados, mas se calhar é melhor assim..

Mission Impossible: Fallout

Quando a idade já não ajuda, a possível saturação de um sexto filme e um ano de 2018 tão rico em filmes cativantes, pensar na qualidade de Fallout é reconhecer-lhe ainda mais o mérito. Tom Cruise pode ter todos os defeitos e mais alguns mas ninguém faz isto como ele. Mais aqui

The Death of Stalin

É talvez o mais desconhecido desta lista e, por isso, o que mais merece cá estar. Uma comédia rápida, inteligente, com espinhos e rara nos tempos que correm. Steve Buscemi está excelente, assim como o restante grupo de homens maus.

Outros destaques…

Bohemian Rapsody é o show de Freddie Mercury e Rami Malek. É também o feel good deste ano, sucedendo a The Greatest Showman (mais aqui). Não sou ferrado acólito de Black Panther como alguns, principalmente não acho que seja melhor do que Infinity War, mas consegue provar que a Marvel nos faz importar por um herói desconhecido (mais aqui). Deadpool 2 consegue ser mais engraçado que o primeiro e no entanto não ser tão bom. Ainda assim é mais um capítulo no ano dourado de Josh Brolin e consagração de Ryan Reynolds como um diamante que devemos preservar. Den of Thieves é um filme de acção competente… de 2018… é só isso. Red Sparrow cativou-me mais à segunda visualização. Ainda tem as suas falhas, que as tem, mas sentir-me-ia culpado se não realçasse o trabalho de Jennifer Lawrence. Wind River… já cá faltava uma referência a um filme que não é de 2018… também pode ter passado despercebido aos mais desatentos. Mais um filme sobre um homicídio cometido no meio da neve, mas desta vez bem feito e interpretado.

Partilha o post do menino no...