Pelos Caminhos de Westeros: Night’s Watch

Agora que “Game of Thrones” entrou num longo hiatus, porque não aprender mais sobre este riquíssimo mundo? É esse o desafio para as próximas semanas: explorar e relembrar os locais, as pessoas e as histórias que GRRM criou e que a HBO transformou em imagem. Nos próximos domingos falaremos sobre as Casas e os seus membros e de acontecimentos que não foram abordados em profundidade na série. Para mais informação sobre a série, façam “gosto” na página “Game of Thrones (Portugal)“. Esta semana: A Night’s Watch:

A Night’s Watch

A Night’s Watch é uma ordem militar responsável por proteger a Muralha e defender os Sete Reinos de tudo o que se localiza para lá dela.

A sua origem remonta à Idade dos Heróis, oito mil anos antes da invasão de Aegon, após um período conhecido como Long Night, período da história em que todo Westeros esteve “coberto” por uma longa escuridão que durou uma geração. Os Outros, originários das Lands of Always Winter (Terras do Inverno Constante), invadiram o Continente e espalharam o terror e a morte até aos Filhos da Floresta e aos First Men, após descobrirem que Dragonglass conseguia matar os invasores, finalmente repelirem a invasão. Dragonglass é um tipo de vidro vulcânico, ou obsidiana. Diz-se que as Crianças da Floresta forneciam 100 adagas de Dragonglass por ano à Night’s Watch. As lâminas são mais afiadas que o aço mas também mais frágeis.

Para liderar na batalha, tiveram a ajuda de Azor Ahai e da sua Lightbringer. Azor tentou criar uma espada para combater os Outros, então forjou uma durante 30 dias e 30 noites. Quando a colocou na água para arrefecer, quebrou. Destemido, criou outra, melhor que a original e desta vez demorou 50 dias e 50 noites. Capturou um leão e esventrou-o no coração, e a espada partiu-se. Com o coração pesado, pelo que sabia que tinha de fazer, forjou uma terceira espada durante 100 dias e 100 noites. Chamou a sua esposa, Nissa Nissa, e pediu-lhe que expusesse o peito. Ao trespassa-la no coração, a sua alma, em combinação com o aço da espada, criou a Lightbringer. Há quem teorize que Azor Ahai é o “Príncipe Que Foi Prometido”, um profetizado líder e salvador que chegará aquando da “Bleeding Star” (o cometa vermelho) e que trará consigo “um canto”… “The song of ice and fire”.

Quando os Outros foram derrotados na “Battle for the Dawn”, medidas foram tomadas para que a ameaça não se repetisse e o povo não fosse apanhado desprevenido por uma nova invasão. A lenda conta que a Muralha foi erguida por Bran O Construtor, fundador da Casa Stark, com gelo e magia das Crianças da Floresta. A estrutura prolonga-se durante 550 quilómetros, com 480 metros de altura (inicialmente não era tão alta, mas a Night’s Watch foi adicionando mais à estrutura com o passar dos anos), do Gorge a Oeste até ao Shivering Sea a Este. A ordem da Night’s Watch foi então criada para fazer a sua manutenção e proteger a “fronteira” que separa os Sete Reinos do desconhecido. Mas os Outros nunca mais foram avistados.

Para alertar os restantes membros, usam-se alertas sonoros com chifres: um para avisar da chegada de um irmão de preto, dois como sinal de ataque (wildlings) e três para avistamento de White Walkers. Com o passar dos anos, o som dos três toques foi esquecido, assim como a missão principal da ordem, enquanto a adesão nas fileiras ia diminuindo, com os Sete Reinos a negligenciar a Muralha. Agora, a função de protecção “limita-se” aos Wildlings, povo selvagem que vive para lá da muralha. Ao longo de milénios, várias foram as tentativas de invasão e em alguns casos surgiram mesmo os Reis Beyond-the-Wall, líderes sem legado hereditário que se sobressaíam e conseguiam unir os “inlideráveis” sobre a mesma bandeira. São conhecidos seis “Reis”: Raymun Redbeard, Bael The Bard, os gémeos Gendel e Gorne, Horned Lod Joramun e Mance Ryder.

A “segurar” a Muralha, existem 19 castelos. Quando Aegon invadiu Westeros, a Night’s Watch ocupava 17 deles, com uma força de 10 mil homens. Era considerado uma honra servir na ordem e os filhos mais novos das grandes Casas aceitavam-no com prazer. Agora, apenas três castelos estão ocupados com menos de mil homens. Para além dos números escassos, também a qualidade é bem menos… digna. Para compensar o abandono, a ordem agora “recruta” camponeses, bastardos, violadores, ladrões e outros criminosos que vêm no Preto a única salvação. Poucos são os lordes que ainda servem e os que se alistam foram obrigados por estarem no lado derrotado numa guerra. A Night’s Watch conta ainda com uma pequena frota em Eastwatch. Os voluntários podem abandonar durante a recruta, mas os desertores são sentenciados à morte depois de proferidos os votos:

“A noite chega e minha vigília começa. Ela não terminará até que eu morra. Não tomarei esposa, não possuirei terras, não gerarei filhos. Não usarei coroas e não conquistarei glórias. Viverei e morrerei no meu posto. Sou a espada na escuridão, o vigilante na muralha. Sou o fogo que arde contra o frio, a luz que traz consigo a alvorada, a trombeta que acorda os que dormem, o escudo que guarda o Reino dos Homens. Dedicarei a minha vida e minha honra à Patrulha da Noite, a partir desta noite e das outras que estão por vir.”

Na eulogia, é costume finalizar-se com “And now his watch is ended”.

Os Irmãos

A Night’s Watch tem uma estrutura bem definida, constituída por três ordens. Dentro de cada ordem, há um líder (First Ranger, First Builder, First Steward) que respondem a um líder geral, o Lord Commander. Normalmente, qualquer Lord dos Sete Reinos tem uma posição de oficial garantida, mas a Night’s Watch é uma meritocracia, em que até o mais “deplorável” dos recrutas, pode um dia vir a liderar Lords e Cavaleiros.

Rangers – Apesar de todos os membros guardarem a Muralha, os Rangers são a principal ordem guerreira e responsáveis pela patrulha da Haunted Forest, procurando activamente os Wildlings em combate.

Builders (Construtores) – Responsáveis pela manutenção da Muralha, castelos e equipamento. Formados por pedreiros, carpinteiros, mineiros e lenhadores.

Stewards (Intendentes) – A maior das três ordens, responsáveis por serviços vitais ao bom funcionamento diário da ordem. Caçam e cultivam, tratam dos cavalos, recolhem lenha, cozinham, cuidam da lavandaria, fazem manutenção das armas e realizam comércio com o Sul. Os literados, que são poucos, realizam ainda outras tarefas mais específicas. Alguns são escolhidos para servirem os oficiais, como o Lord Commander. Pode dizer-se que a administração da Night’s Watch está a cargo desta ordem.

Lord Commander – A autoridade máxima que supervisiona as três ordens. Embora esteja mais ou menos implícito que os Rangers têm preferência, qualquer membro pode ser nomeado para o cargo, que servirá até à morte. Diz-se que já houve quase 1000 Commanders, mas os registos apenas contemplam 667. Na eleição de um novo líder, cada membro pode nomear-se candidato ou ser sugerido pelos restantes. Para ser eleito necessita de 2/3 dos votos, caso contrario a votação repetir-se-á diariamente (uma das votações prolongou-se quase dois anos e foram necessárias 700 votações). Como não é possível todos os membros dos restantes fortes estarem presentes simultaneamente, os seus comandantes representam os votos de cada guarnição.

Night’s King – O 13º Lord Commander que, segundo a lenda, se apaixonou por uma mulher com uma pele tão branca como a Lua e olhos como estrelas azuis (uma White Walker), a quem deu a sua alma. Quando a trouxe para Nightfort, declarou-se Rei e governou o forte durante 13 anos. Só quando Joramun, o Rei Beyond-the-Wall e o Rei do Norte se aliaram é que o autoproclamado Rei caiu. Viria a descobrir-se que fazia sacrifícios humanos aos Outros (similar ao que Craster fez) e todos os registos com o seu nome foram apagados. Foi talvez devido a isto que os Lords do Norte proibiram que a Night Watch construísse muralhas a Sul, permitindo o constante acesso ás guarnições.

Osric Stark – Irmão ou filho de um Rei do Norte. Foi escolhido como Lord Commander com 10 anos de idade, tornando-o no mais novo de sempre. Serviu durante 60 anos.

Jack Musgood – Conhecido como Lord Commander Sleepy Jack, porque foi apanhado desprevenido e permitiu que o Rei Beyond-the-Wall ultrapassasse a Muralha.

Um ex-membro da Casa Hoare recusou o envolvimento da Night’s Watch na invasão dos Targaryen, até para salvar a sua própria ex-Casa.

Robin Hill, Tristan Mudd e Marq Rankenfell – Três líderes que quase arruinaram a ordem por causa de ambições pessoais.

Runcel Hightower – Tentou tornar a sucessão hereditária e deixar o cargo máximo ao seu filho.

Jeor Mormont – Antigo Lord de Bear Island (daí ser conhecido como “The Old Bear”). Abdicou do título para o filho Jorah, mas quem governa agora é a sua irmã Maege. Serviu como bannerman de Ned Stark durante a Rebelião de Robert e posteriormente alistou-se na Night’s Watch, onde subiu na hierarquia relativamente rápido. Quando o seu filho fugiu para as Cidades Livres, para escapar ao castigo de venda de escravos, Jeor readquiriu a antiga espada Longclaw, forjada na Valyria. Preocupado com a decadente fama da ordem e com a ameaça constante dos Wildlings, sob conselho de Benjen Stark, alterou os padrões de patrulha da Night’s Watch, tornando-os menos previsíveis para o inimigo. Um homem altamente respeitado pelos seus homens.

Maester Aemon – Terceiro descendente de um dos filhos do Rei Daeron Targaryen II, Aemon foi enviado para a Citadela para evitar potenciais conflitos de sucessão. Após a formação, o seu Pai, agora Rei, chamou-o para o Pequeno Conselho, o qual recusou por achar que estaria a tirar o lugar ao Grand Maester. Mais tarde, durante uma luta de sucessão, ainda lhe foi oferecida a própria coroa, que também recusou. Receando ser usado numa conspiração contra o irmão mais novo na luta pelo poder, alistou-se na Night’s Watch. Na viagem para Norte, fez-se acompanhar por Brynden River, que mais tarde viria a tornar-se Lord Commander Bloodraven.

Benjen Stark – O irmão mais novo de Ned Stark alistou-se pouco depois da Rebelião de Robert (foi ele o Stark que permaneceu em Winterfell durante o conflito). As razões que o levaram a alistar-se são desconhecidas, mas rapidamente chegou a Primeiro Ranger na ordem.

Alliser Thorne – O Mestre de Armas da ordem serviu no lado errado da Rebelião de Robert, ao defender King’s Landing. Tywin Lannister deu-lhe a escolher entre a cabeça no espigão ou a Muralha. Odiado por todos os recrutas da Night’s Watch pelo seu tom de voz e desprezo.

Yoren – Depois de sofrer uma lesão que o impede de lutar bem, tornou-se recrutador da Night’s Watch e exerce a função há 30 anos. O “Corvo Errante” viaja pelos sete reinos em busca de voluntários e da escória da sociedade para preencher as fileiras (durante as suas viagens só perdeu três recrutas). Lamenta que a ordem não tenha o mesmo respeito de tempos mais dourados, mas serve com lealdade e tem afecto pela Casa Stark, que o acolhe várias vezes entre viagens.

Will – Um ex-errante das Riverlands e Ranger com quatro anos experiência. O prelúdio do primeiro livro é sob o seu ponto de vista. Na série, o papel de Gared e Will estão trocados (na obra é Gared a ser decapitado por desertar.).

Gared – Um ranger veterano que serviu durante 40 anos e passou muitos deles em patrulha para lá da Muralha. São dele as primeiras palavras no primeiro livro da saga.

Waymar Royce – Um ranger de origem nobre. Sem hipóteses de sucessão, é levado até à Muralha pelo pai e fica hospedado em Winterfell durante a viagem. Sansa chega a apaixonar-se brevemente por ele devido à sua beleza. A arrogância do seu legado nobre leva-o a achar-se superior aos membros mais antigos da ordem.

Samwell Tarly – Apesar do seu físico não o ajudar na arte do combate, Sam é um rapaz inteligente. Primogénito do Lord Randyll Tarly, um poderoso lord do Sul, Sam sempre preferiu as canções e poemas às armaduras. Lord Tarly, um dos melhores comandantes dos Sete Reinos falhou varias vezes em moldar o filho à sua imagem e uma dúzia de Mestres de Armas falharam também na tarefa de endurecê-lo. Até foi proibido de se tornar Maester porque o pai tinha vergonha de ver alguém da sua família com a Corrente. Depois de Samwell, Lord Tarly teve quatro filhas, mas assim que o seu segundo filho, Dickon, nasceu e mostrou as aptidões físicas que o pai se podia orgulhar, disse a Sam directamente que não era um descendente digno e que deveria alistar-se na Night’s Watch, deixando de ser um problema no caminho do irmão pela sucessão. Caso recusasse, um “acidente de caça” acabaria por resolver o problema. Tímido, teme a violência e o sangue, o que o rotula como cobarde junto dos companheiros da ordem. Viria a tornar-se membro dos Stewards.

Pyp – Pypar viajava pelos Reinos com um grupo de actores e cantores até se alistar na mesma “turma” de Jon Snow. Supostamente consegue dizer a origem de uma pessoa só pelo seu sotaque e adora imitar e representar.

Grenn – Mais velho que os restantes recrutas, é apelidado de Auroque (raça extinta de boi) por Ser Allister.

Rast – Como alternativa ao castramento, Rast safa-se da condenação de violação ao alistar-se na Night’s Watch.

A Muralha

Embora apenas três estejam ocupados actualmente, a guarnição da Muralha é formada por 19 castelos. Compostos principalmente por quartéis, estábulos, arsenal, armazéns e torres. Apesar do nome, os castelos não são bem dignos do nome, visto que não têm paredes para além da Muralha em si. Não temem qualquer ataque do Sul porque juraram não intervir em nenhum conflito dos Sete Reinos. Apenas “The Shadow Tower” a Oeste e Eastwatch by the Sea” estão ocupadas, além de Castle Back, o maior ainda em utilização, e onde reside o Lord Commander. Nighfort foi o primeiro Castelo a ser construído e é o maior. É ainda o único que tem a escadaria até ao topo esculpida na própria Muralha. Foi abandonado há 200 anos porque era muito dispendioso mantê-lo. Quando a Rainha Alysanne Targaryen (uma espécie de “padroeira” da Night’s Watch) se ofereceu para construir um castelo mais pequeno (Deep Lake), a ordem transferiu-se para lá.

Em Castle Black existem caminhos subterrâneos (wormwalks ou wormways) que ligam todos os edifícios do forte. Embora não sejam usados durante o Verão, são a única maneira de atravessar o Castelo durante o Inverno, quando a neve chega a atingir os 50 metros de altura. Ainda por baixo do forte existem os Cofres (Vaults), que contêm armazéns de comida e uma biblioteca, com livros que nem a Citadela (local de formação dos Maesters) contém.

Possui apenas um pequeno Sept (edifício com sete paredes, usado como local de oração da “Faith of Seven”) e nenhuma Godswood (pequena área florestal, guarnecida por um castelo, onde se reza aos Old Gods), pelo que os crentes nesta região têm de ir à Haunted Forest, para lá da Muralha, onde se encontram as Weirwoods, legado das Crianças da Floresta.

A nível de torres, existe a Lord Commander’s Tower ou “Commander’s Keep”, Hardin’s Tower, Tower of the Guards, Silent Tower, a King’s Tower, reservado para visitantes VIP e Reis (apesar de nenhum visitar a guarnição há mais de 100 anos) e a Lance Tower, que embora seja a mais alta tem apenas um terço da altura da Muralha. Existe ainda a Common Hall, Rookery (lar dos corvos), o Arsenal, Flint Barracks (onde residem a maior parte dos irmãos) e a Shieldhall, um salão de festas em pedra escura onde, em tempos dourados, as paredes estavam cheias de escudos coloridos. Quando um cavaleiro vestia o preto, pendurava o seu antigo brasão nas paredes.

Os Guardas do Portão vigiam o túnel longo e estreito dentro da Muralha que faz a ligação entre a guarnição e o território para lá da Muralha (que os Rangers usam quando vão em patrulha). A passagem contém três portões de ferro e um mais exterior, de carvalho solido, com 23 centímetros de espessura. Para aceder ao topo da Muralha existem dois métodos: uma escada de madeira, ancorada na muralha, e um elevador formado por uma jaula de ferro que sobe e desce com a ajuda de uma manivela e que permite o transporte de homens (até 10) e mercadorias. No topo tem algumas estruturas, locais onde onde os irmãos se podem aquecer.

O ponto de civilização mais próximo da muralha é Mole’s Town, uma colonização subterrânea cujo bordel é frequentemente frequentado pela Night’s Watch.

Aos bastardos da Night’s Watch, dá-se o apelido de… não se dá porque não podem procriar e bastardos já são eles (pronto, uma piada bem seca para acabar!)

A Night’s Watch por Ygritte

“Espadas na Escuridão… Sim, os homens da Night’s Watch pelo menos isso são, como o povo livre tão bem sabe. Vocês do Sul são estranhos. Um homem mata e ensinam-no a matar melhor, um homem rouba ou viola e enviam-no para onde é privado e escuro. Bem, pelo menos, fazem-no prometer que ele se porta bem, só para ele mais tarde se arrepender. Desde que acorda até lhe ser permitido dormir fazem-no andar pela muralha congelada, carregar pedras congeladas ou aquecer comida congelada. Quando finalmente se deita, não tem ninguém que lhe aqueça a cama congelada… A não ser que os corvos gostem de se aquecer uns aos outros…

Será que se recordam das histórias? De quando os White Walkers acordaram nas Terras do Inverno Constante e a Muralha e a Patrulha foram criadas para os impedir da próxima vez. Sem se preocuparem em nos prender do outro lado. Nós, o povo livre, também temos algumas histórias. Como a do Rei dos corvos que encontrou algo na floresta com olhos azuis, a levou para casa através da Muralha e se proclamou Night’s King. Durante 13 anos governou sobre os irmãos, fazendo sacrifícios tão negros como os seus mantos. Felizmente para vocês, o povo livre uniu-se com um Rei-Além-da-Muralha, como o fazemos quando é necessário, e marchámos sobre o Castelo que ele tomou, Nightfort. Com a ajuda dos Stark, matámos o demónio e purgámos a vossa preciosa Patrulha. Depois agradeceram-nos ao pontapearam-nos para lá da Muralha… como fazem sempre.

Gendel, Raymun Redbeard, Horned Lord… cada um escolhido como Rei Além-da-Muralha, cada um prometendo a vitória, cada um caiu perante a Night’s Watch e os Stark. Mas desta vez é diferente, o nosso novo Rei sabe os vossos truques. Já lhe chamaram irmão corvo antes, mas ele nunca esqueceu as suas asas. Sabemos como é que vocês pensam, onde são fracos. Vigiem-nos da Muralha se quiserem, com o frio nem vão sentir a faca nas costas…”

A Night’s Watch por Lord Mormont

“A noite chega e agora a minha vigília começa. Ela não terminará até que morra. Não tomarei esposa, não possuirei terras, não gerarei filhos. Não usarei coroas e não conquistarei glórias. Viverei e morrerei no meu posto. Sou a espada na escuridão, sou o vigilante nas muralhas. Sou o fogo que arde contra o frio, a luz que traz consigo a alvorada, a trombeta que acorda os que dormem, o escudo que guarda o Reino dos Homens. Dedicarei a minha vida e minha honra à Patrulha da Noite, a partir desta noite e das outras que estão por vir.

A lenda fala de um Inverno que durou uma geração e de uma vasta e terrível escuridão que se abateu sobre a terra. Ficaria conhecida como a Long Night (Noite Longa). Nessa escuridão, os White Walkers emergiram do extremo Norte e, com o seu exército dos mortos, declararam guerra aos vivos, destruindo vilas e postos, espalhando terror e destruição à sua passagem. Após anos de conflitos brutais e perdas insuportáveis, uma aliança entre os Primeiros Homens e as Crianças da Floresta conseguiu enviar os Walkers e os seus súbditos de volta para as terras gélidas e estéreis do Norte de onde vieram.

Para impedir o seu regresso, os Primeiros Homens ergueram a Muralha. Uma fortificação maciça, com mais de 200 metros de altura, desde as Montanhas Frostfang a Oeste até à Bay of Seals no Leste. Uma estrutura como nunca antes se viu. Há quem diga que só foi possível com o auxílio de gigantes ou da magia poderosa das Crianças da Floresta. Eram necessários homens para protegê-la e mantê-la e assim nasceu Night’s Watch, uma irmandade que jurou defender os reinos dos homens contra as forças sombrias do outro lado. Ao fazer o juramento, um irmão servirá na Patrulha para a vida, uma vida difícil que envolve grandes sacrifícios, por isso o juramento não deve ser levado em vão. O castigo pela deserção é a morte.

A Night’s Watch está dividida em três ramos vitais: Embora todos estejam preparados para pegar no aço caso seja necessário, os Rangers são os verdadeiros guerreiros da Patrulha. Os anos passam, e embora os Walkers ainda possam regressar, outras ameaças surgiram. Tribos bárbaras, conhecidas como Wildlings. Os Rangers devem proteger os Reinos destes selvagens sem lei. Os Builders são carpinteiros, pedreiros, mineiros e lenhadores cuja tarefa é manter a Muralha, assim como as suas fortalezas, torres e estruturas que ao longo dos anos caíram em abandono. Os Stewards são cozinheiros, talhantes e caçadores. Cuidam dos cavalos e dos corvos mensageiros, costuram roupa, recolhem lenha e trazem suprimentos do Sul.

A Night’s Watch é um grupo diversificado. Voluntários orgulhosos de Casas nobres convivem com ladrões de masmorras. Abandona-se a distinção entre classes assim como os delitos passados. Na Muralha, um homem ganha o que merece e até o mais insignificante sobe na hierarquia se mostrar capacidades. Durante milhares de anos os irmãos da Night’s Watch fizeram a vigília solitária. As estações mudam, guerras sangrentas decorrem a Sul, dinastias ascendem e caem mas a Night’s Watch permanece. Nós somos as espadas na noite, somos a vigília na muralha, somos os escudos que guardam os reinos do Homem.”[/tab]

A Night’s Watch por Tywin Lannister

“Há muitos anos atrás, um exército de demónios surgiu do solo gélido e trouxe as trevas e desespero. Montados em aranhas gigantes e auxiliados por gigantes, espalharam pânico entre os inocentes, massacrando milhares. Tudo estava perdido, até os destemidos primeiros irmãos da Night’s Watch os enviarem de volta para as Montanhas gélidas e erguerem uma Muralha mágica para evitar nova invasão. Estes valentes irmãos de negro continuam a proteger-nos até aos dias de hoje dos males que espreitam nas sombras… uma mentira absurda!

Um conto de fadas espalhado pelas amas do Norte. Sim, há uma muralha gigante, um triunfo da engenharia, mas não da magia. Quanto à Night’s Watch, houve um tempo, há vários séculos, em que houve prestígio e honra na vida desgraçada e ausente de posses de um Irmão de Negro. Hoje em dia é uma colónia penal glorificada, cheia de proscritos, criminosos e outros tipos de gente inútil. Um comum candidato começa a vida como mendigo, violador ou idiota da aldeia. Quanto aos poucos nobres, alistaram-se porque lutaram no lado errado de uma guerra ou foram rejeitados pelos pais por um motivo ou outro.

Os que teimam em defender a Night’s Watch alegam que eles protegem os Sete Reinos contra os Wildlings do Norte. Mas há pouco a temer desses primitivos! São insignificantes, não são sofisticados ou poderosos o suficiente para ameaçarem o Reino. E essas historiazinhas sobre os Walkers, o seu exército dos mortos, aranhas gigantes e outros monstros… não passam disso mesmo, historinhas.”

A Night’s Watch por Maester Luwin

“Alistar-se na Night’s Watch é uma honra singular para qualquer homem do Norte, pois foi no Norte, há 8 mil anos, que os Primeiros Homens expulsaram os White Walkers, ergueram a Muralha e estabeleceram a irmandade que protegeria o Reino e as suas gentes dos perigos do extremo Norte.

Infelizmente, a Night’s Watch não mais desperta o respeito e admiração de outrora. Embora os Stark e outras Casas do Norte continuem a reconhecer a sua importância para a segurança e estabilidade do Reino, a mesma visão não é partilhada pelas Casas mais a Sul e seus súbditos. A maior parte considera-a uma Ordem desorientada e obsoleta, formada por proscritos inúteis. Na verdade, a Patrulha actual é uma sombra do que antes foi. Apenas 1000 homens restam e dos 19 castelos, apenas três estão funcionais: The Shadow Tower, Castle Black e Eastwatch by the Sea. A missão de proteger a Muralha torna-se difícil com tão poucos recursos.

Os oficiais de recrutamento, conhecidos como Corvos Errantes, reviram as masmorras e guetos do Reino em busca de homens para as fileiras. Embora ainda haja ocasionais respeitáveis voluntários, a grande maioria é formada por criminosos, ladrões, violadores e assassinos, condenados a servir na Muralha como castigo pelos seus crimes.

A queda desta outrora lendária ordem é preocupante, pois os perigos contra os quais nos protege são bem reais. Embora os Walkers não sejam vistos há muitos anos, e possam muito bem ser fruto de mitos, as tribos bárbaras que vivem para lá da Muralha são uma ameaça para o Norte há gerações. Por algumas vezes chegaram a unir-se sob um Rei Para-além-Muralha e desferiram ataques em grande escala contra o Reino. Mas graças aos diligentes e corajosos homens da Night’s Watch, estes supostos Reis foram derrotados.

Embora muitos tenham perdido a fé na Night’s Watch , o povo do Norte acredita com convicção que os irmão da Patrulha responderão à chamada quando necessário. Mas com o Inverno a chegar, com número reduzido e ausência de apoio generalizado, estarão eles prontos?”

Partilha o post do menino no...