Person of Interest: 1×05 – Judgement

[SPOILERS]Que bosta de episódio!” juro-vos que foi a primeira coisa que assentei na folha quando o episódio ainda ia no genérico…será que estou a desenvolver as capacidades de Nostradamus? A propósito, o mundo vai acabar a 14 de Novembro, às 17h32… Sem mais demoras, bem-vindos à review mais curta de todo o sempre!

No ano passado fazia “The Borgias” e “The Event”, agora tenho “Homeland” e “Person of Interest”. Nunca tive jeito para falar de séries policiais, talvez porque ache que uma temporada de “CSI” dava menos texto que uma análise normal. Por isso perdoem-me a falta de palavras mas não há nada a dizer deste episódio.

Já ia stressar seriamente quando vi a cena inicial: se a máquina dá números de segurança social e não nomes, como é que iam confundir o pai com o filho!? (Jim Caviezel) está a ficar cada vez melhor nas cenas de luta e os seus momentos “Bourne” são sinceramente agradáveis de ver, mas o desgraçado a este ritmo vai parecer um coador com tanto furo!

No fim, tudo acaba bem. Com Carter (Taraji P. Henson) inteligente como um sabichão mas tão longe de Reese como um barco de um farol, Lionel (Kevin Chapman) a tentar dar um ar de boas graças com os bandidos embrulhados e tudo entregue como um presente.

Juíz: “They said no feds, no cops!”
Reese: “They didn’t said anything about me…”

E pronto…está tudo dito! É um show muito agradável de se ver pelas razões que venho a enumerar, mas trata-se de mais um que não consegue viver para as expectativas, pelo menos as minhas. Têm tanto para explorar para que isto seja algo mais, estão à espera de quê? Que as pessoas desliguem a televisão para depois começar com a historia e andarem a mendigar pela renovação? Não se percebe.

Venha mais um episódio e mais um chouriço…

Coisas da cena e cenas da coisa:

  • Se o 112 fosse ao local ou localiza-se cada chamada que recebem em que não se ouve nada do outro lado…não faziam outra coisa da vida!
  • Se querem manter o assunto fora da polícia, matar a babysitter e ter os holofotes apontados ao juiz é capaz de ser um bocado parvo.
  • Tiveram tanto tempo para actualizar sobre o caso do tribunal a sós, mas decidem fazê-lo à mesa, parecendo tolinhos a falar sozinhos com torcicolos no pescoço.
  • A sério que o bad boy de cabelo comprido falhou o tiro a Reese daquela distância?

O Melhor: Asério?!
O Pior: Quando isto arrancar, acordem-me!

Partilha o post do menino no...