Person of Interest: 1×13 – Root Cause

[SPOILERS] Para uns pode ser o número da sorte, para outros de azar. Para “Person of Interest” é só o número para mais um bom episódio.

Logo no início temos uma imagem da máquina que alimenta um mito/realidade: de que o governo inspecciona a Internet à procura de palavras-chave que identifiquem ameaças. Porque é que “nação” ficou com a coluna maior?

Já não é segredo que o desejo de Reese (Jim Caviezel) em ajudar inocentes e fornecer-lhes uma segunda oportunidade só é comparável ao desejo de uma vida normal. Ver este inocente homem (ou melhor, inocente que virou culpado que virou inocente) com a sua família fez relembrar isso mesmo. Curiosidade ou não, um dos seus possíveis interesses amorosos voltou neste episódio, mas já lá vamos.

Reese: “Ever been on a stakeout, Finch?”
Finch: “No. Should I bring anything?”
Reese: “Warm clothes. Something to read. And an empty water bottle.”
Finch: “Empty?”
Reese: “There are no bathrooms on a stakeout, Finch.”

Duas das coisas de que gosto na série: Variação nos cenários (especialmente nas imensas cenas no exterior) e surpreender nos casos, quer no alvo, quer na escala. O que prometia ser um episódio de fácil “resolução” tornou-se numa conspiração maior com vários peões. Gostei de ver o retorno de Zoe (desde 1×06 – “The Fix”), quando a rede aperta e é preciso pedir auxílio e quem melhor do que uma ex-cliente com acesso a informação e uma dívida por saldar? Uma coisa que não gosto na série: Mais uma vez aquele actor que diz qualquer coisa no início do episódio e que normalmente faz de culpado nos outros procedurals é o culpado aqui também (Damian Young). Eu sei que reclamo muito disto, mas têm mesmo de ter mais cuidado com a escolha dos actores e de falas, porque assim a tarefa de suspense fica severamente afectada.

Resolvido o caso, Reese fica a dever uma bebida e Finch (Michael Emerson) tem agora uma amiga nova. Depois de o homem da acção ter encontrado o seu Elias (que tarda em voltar), uma hacker habilidosa junta-se à lista de ameaças. Terá Finch encontrado o seu aqui-inimigo atrás dos computadores? Esta “Root” soou muito amigável no contacto, futuro aliado? Seja o que for, aplaudo a entrada de mais adversários de peso, Finch não tinha adversário à altura e por vezes tudo parecia fácil de mais.

Zoe: “If you’re gonna do something wrong, do it right!”

“Root Cause” acaba por ser um episódio “normal”, sem muito que acrescentar para além da variedade na reutilização de uma personagem antiga e a introdução de uma nova, Girl power! Infelizmente, neste episódio tivemos mais uma vez Carter (Taraji P. Henson) agarrada ao telemóvel. Esta rotina da chamadinha, falar baixo ou ir para outra sala, mandar vir com Finch/Reese no início da chamada por andarem a fazer asneiras já começa a encher. Aparecer mais sim, mas com envolvimento de jeito.

Pormenor curioso: Segundo o imdb, até ao episódio 12, cada argumentista teve dois episódios acreditados e todos os episódios foram dirigidos por realizadores diferentes.

O Melhor: Aquele resgate ao FBI foi tão badass! Especialmente com a música de fundo.

O Pior: Podiam fazer um esforço maior em usar actores menos conhecidos.

Partilha o post do menino no...