Supernatural: 10×01 – Black

[SPOILERS] Vamos para os dez anos… 195 episódios exibidos e um verdadeira baú de momentos incríveis para recordar. Ver o “A Very Special Supernatural Special” (recomendo profundamente) que foi para o ar antes da estreia foi como que uma travessia pela Avenida da Memória. Compensou todas as decisões parvas e os arcos menos conseguidos ao longo dos últimos anos e recordou-nos aquilo que de melhor há na nossa série. Incrível recordar principalmente os episódios mais cómicos, pérolas nunca esquecidas. Recordar também que a cara do Jensen Ackles não mudou quase nada desde o início… esse maravilhoso e genial Adónis! Vamos para mais uma temporada?!

♪ You’re the right kind of sinner ♪
♪ to release my inner fantasy ♪
♪ the invincible winner ♪
♪ and you know that you were born to be ♪
♪ you’re a heartbreaker, dream maker ♪
♪ love taker, heartbreaker ♪

Há melhor demonstração de “Supernatural” do que ver Sam no depré e Dean a “desbundar” com estilo?! Dean partiu, deixando um bilhete suficientemente críptico para dar esperança e cortar laços ao mesmo tempo. Deixou também um irmão aleijado à sua procura (não seria inicio de temporada se um deles não estivesse assim) e um ex-anjo a tossir desalmadamente (mas só durante o início da conversa, para percebermos bem e depois não se tornar chato demais) na cama mais barulhente do hemisfério Norte. E como encontramos o ex-salvador da humanidade, o saco de carne do Arcanjo Miguel?! Bom…

♪ I’m too sexy for my love, too sexy for my love ♪
♪ love’s going to leave me ♪
♪ and I sexy for my shirt, too sexy for my shirt ♪
♪ so sexy it hurts ♪
♪ And I’m too sexy for Milan, too sexy for Milan… ♪

Este é um dos momentos mais hilariantes de sempre em “Supernatural” e claro que tinha de ser de Dean. O novo lado demoníaco está a criar uma barreira com os dois “irmãos”, mas por outro, está a fazê-lo divertir-se como há muito não o víamos fazer. Há claros sinais que Dean ainda mora ali, mas…

Abbadon pode ter partido (que pena!), mas a sua morte ainda está a ser vingada por um rebanho enganado que serve de droga para que o novo Caim não entre na ressaca e se torne num completo demónio (informação inserida no episódio, como quem arruma meias). Muito ou pouco perdido, tem um novo companheiro de estrada, companheiro esse que tem todo o interesse estabelecer laços com uma arma tão potente, oferecendo mundo e fundos como um demónio de cruzamento consegue fazer. O Rei do Inferno sabe que não pode obrigar Dean a nada e terá de ser este a tomar uma decisão. Por mim este duo pode prolongar-se por um bom tempo! Dean-Sam neste momento cansa, Dean-Crowley é quase sempre o melhor do episódio.

Sam está cego à actual realidade do irmão, ou melhor, não quer ver. Com o aumento do perfil mediático do o irmão, quase encara isto como um caso semanal, uma caça ao alvo. Mas a entrada em cena deste misterioso “caçador” ainda complica mais a vida e adia o reecontro que ainda não ansiamos realmente, de tão delicioso que é ver Dean em modo solo. Não resistiram e tinham de envolver uma conversa entre Dean e Sam no carro no final do episódio. Bom, não foi bem uma conversa, mas acabou da mesma maneira de sempre: Dean a dizer uma coisa e a sentir outra.

♪ imaginary lovers
♪ never turn you down ♪
♪ When all the others turn you away ♪
♪ they’re around ♪
♪ it’s my private pleasure ♪
♪ midnight fantasy ♪
♪ someone to share ♪
♪ my wildest dreams with me ♪
♪ Imaginary lover ♪
♪ You’re mine anytime ♪

Apesar desta temporada, pelo menos inicialmente, se parecer focar no reino subterrâneo, ainda há um reino nas nuvens que precisa de ser limpo, com a tranquilidade e burocracia de anjo. Castiel está em tempo emprestado e apesar da persistência da “líder” Hannah, recusa-se a alimentar sequer a ideia de que a sua salvação poderá passar pelo sofrimento de outro anjo. Quando Daniel tenta explicar a sua escolha de vida a obtusa Hannah não entende, mas Castiel teve outras experiências, há uma compaixão ali que as ciscunstancias e a tensão não deixam explorar. Parece haver um barril de pólvora no reino do Céu, e ninguém quer pousar o pavio…

Crowley: “Dean Winchester completes me.”

Um bom começo, com a estrela do costume a brilhar e o buraco negro do costume a contra-balançar. Há uma sensação de continuidade apesar de algum tempo ter passado. Tal como Dean, tudo está diferente, mas no fundo, tudo igual. Um episódio que nos deixa realmente curiosos para o que irá acontecer, que oferece mais perguntas que respostas, que é também o que se deseja. Mas também um episódio que conta com um Castiel desinspirado, cansado e repetitivo.

PS- Jared Padalecki foi mesmo operado ao ombro na vida real.

Partilha o post do menino no...