Supernatural: 10×10 – The Hunter Games

[SPOILERS] Há series que gostavam de ser tão boas como as recaps de “Supernatural”… Estes “Hunger Games” não têm a Jennifer Lawrence mas têm Dean, que nos vai valendo.

Rowena: “Darlin’, what can I do?
Crowley: “Not a thing, you evil bitch.
Rowena: “”Not a thing, you evil bitch, mother.”

Se este arco de Crowley e Rowena não avança começo a fartar-me. É irritante ver personagens a tentarem enganar-se quando nós sabemos das suas verdadeiras intenções. Uma perda de tempo. Embora Crowley seja sempre fantástico, quero vê-lo a contracenar com Winchesters, não com uma mãe com síndrome de over-acting que repete estratégias. Não dá para perceber como é que o filho cai nelas! Já agora, bastou ele referir que a adaga estava com o seu corpo que ela conseguiu saber exactamente onde, sem sair do Inferno.

Rowena: “I will not apologize for being a career woman.”

O inevitável lá apareceu. Em “Supernatural” matam um monstro todas as semanas, mas o maior vilão angelical de sempre não (cujos crimes Dean enumerou), porque dá sempre jeito ter à mão. Eu gosto de Metatron. mas não gosto de incongruências na história para justificar manter um personagem a jeito de ser usado quando apetece. Já o fizeram com as mortes e “desmortes” de Bobby e agora estão a fazê-lo com Metatron. Portanto, vamos a ver se entendo: o trio traz o maior enganador da história na esperança que ele seja honesto e, quando este dá uma solução, duvidam dele… faz sentido! Tivemos um frente a frente que em nada acrescentou à relação entre eles e ao estado de Dean, aliás, foi na conversa flash com Sam que a maior revelação foi dada: a marca tem culpa, mas é Dean quem parece puxar para si a maldade. É certo que há muito sobrenatural a influenciar os irmãos, mas talvez seja mesmo deles a tendência para ceder a ela.

Castiel: “I like texting… Emoticons!”

Por falar em repetições, lá temos novamente Claire a dar uma de adolescente revoltada, com os mesmos argumentos do episódio anterior, mais a culpa por Dean ter morto o seu maravilhoso “pai”. Quantas vezes é que ela disse neste par de episódios que Castiel não é pai dela?! Jesus Fracking Christ! E porque é que ela interessa minimamente? O primeiro casal que encontra são logo uns assassinos? E que tinham eles a ganhar ao acabar com Dean? Enfim… Acaba por mudar de opinião sem que nada de relevante tenha acontecido e Castiel aceita que fique sozinha só porque não partiu a mal, o que faz uma lógica desgraçada quando a preocupação é ela estar sozinha.

Não sei que dizer deste episódio. Repetições, reciclagens e conversas cheias de nada… até para a semana para mais do mesmo.

PS- Porque é que na demanda para remover a Marca de Cain, ninguém se lembra de perguntar ao… Cain?!

Partilha o post do menino no...