Supernatural: 10×14 – The Executioner’s Song

[SPOILERS] Isto chega a ser profundamente irritante. Ter actores e personagens deste calibre e não aproveitar. A intro com Cain (Timothy Omundson) é melhor do que todos os últimos episódios juntos. Porque não criar um arco de vários episódios com ele?! Porquê gastar paciência e episódios com “mata ratos” que não interessam?!

O “sentido-aranha” de Dean despertou logo na prisão e para isso bastou um busto do criador do homicídio. Finalmente vamos poder ter o frente-a-frente que tanto desejávamos e avançar no arco da Marca e de Cain.

Castiel voltou aos interrogatórios. Não deixa de me surpreender que o vejamos tão “frio”, a torturar, mas ainda bem que assim é. Já Crowley presenteia-nos com mais um episódio emocionante de “Juiz Decide”, para mostrar que a mãe o controla sem que ele perceba. Ainda bem que nos mostram estas cenas, porque acho que a mensagem ainda não passou na outra meia dúzia de cenas iguais que já vimos.

Castiel a bordo, Crowley enganado para vir a bordo e a “bengala” Sam para amparar o que for preciso. O ringue está montado, os lutadores estão a postos. No canto Esquerdo, com 80kg de força e uma tonelada de convicção. Ele já esteve no Inferno, no Céu e Purgatório, já foi anjo e já foi demónio, DEEEEEEEEEEEEAN WINCHESTER!!! No canto direito, com 90kg de barba e cabelo, o homem que criou o homicídio e o ódio entre irmãos, o assassino dos assassinos, CAAAAAAAAAAAIN DOMINGOS!!! Estes dois demónios lutam pelo título de gajo-mais-comido-da-cabeça-por-uma-tatuagem-que-se-arrependem-sem-que-possam-culpar-o-álcool, e esta noite vão lutar até à morte pela perdição das suas almas… LET’S GET READY TO RUMBLEEEEEEEEE!

A luta em si seguiu todos os modelos de qualquer “boss fight” em “Supernatural”, em que Dean leva uma carrada de porrada e acaba por ser a conversa a mais que lhe permite tirar uma faca da cartola e vencer o duelo. Mas esta luta ao menos tem um inimigo carismático que nos faz ter pena de partir. Dean é obrigado a fazer o que não quer e o sentimento de vitória é muito vazio já que, no fundo, não venceu nada. A acumular com o peso, parece ter perdido verdadeiramente Crowley para a formatação da mãe. Algum dia o amor platónico do rei do inferno teria de acabar e com a influência maternal tudo será mais repentino, preparando para um final de temporada quente entre “ex-namorados”.

Se tivéssemos Cain durante mais episódios talvez não sentisse um vazio, um buraco, na satisfação que esta morte traz. Parece que a série consegue acabar o que há de bom e arrastar o que há de mau. Curioso para ver como evoluem com a história de Dean e se se confirma que Crowley será agora o Némesis. Considerando que não imagino a sua morte no final de temporada, estou preparado para mais um cliffhanger que não irá a lado nenhum.

Nota: a partir de Março a série muda-se para a quarta-feira depois de “Arrow” devido à estreia do que parece ser um poio de esterco, “iZombie”. Só teremos novo episódio dia 18…

Partilha o post do menino no...