Supernatural: 10×15 – The Things They Carried

[SPOILERS] Pergunta – O que está parado há mais tempo: a série ou as análises… as análises, são as análises.

Não me mudei para o Purgatório, não visitei o Inferno nem estive num Paraíso pessoal, mas a mudança de residência para uns 1300km a Norte impediu-me de andar em cima dos irmãos (salvo seja). Neste ponto, devo ser o único que acompanha estas análises que ainda não sabe como acaba a temporada… faz sentido! Mas vamos lá, vamos fazer de conta que vocês não sabem e que isto saiu uma semana depois do episódio ir para o ar.

Marca de Cain veio para ficar, que se vai fazer?! Quem é como quem diz: já avançamos muito e ainda falta uma carrada para o final de temporada, vamos adiar isto um cadito. Um caso militar chega para entreter mentes preocupadas e é o ideal para trazer Cole de volta à história (que parece conhecer toda a gente nas forças armadas). Não que o caso dos desidratados não suscite interesse (que não suscitou, diga-se), mas isto só interessa por Cole, pela relação deles com os irmãos e o seu trabalho e a tentativa de compreender e aceitar este mundo à parte.

Obviamente que Cole vai ignorar os irmãos e obviamente que vai tentar fazer as coisas à sua maneira… e obviamente que os “ratos” Winchester estão em cima da situação. Um intervenção de choque e Cole começa a perceber que o mundo que tenta compreender é mais cruel do que aquele em que está habituado a usar armas de pólvora. Afinal de contas, para Dean é apenas uma segunda-feira de babysitting.

O final não trouxe nada de surpreendente, nem mesmo a culpa de Sam que é mais do que incompreensível e que só serve para servir de espelho à situação de Dean.

Partilha o post do menino no...