Supernatural: 10×21 – Dark Dynasty

[SPOILERS] This never ends well…

Entre gelados oculares, Sam anda atarefado para reunir os Vingadores que salvarão a vida do irmão. A presença de Cass e de Charlie dão mais segurança à coisa, mas pouco, porque quando algo tem de correr mal, corre. As conversas continuam a ser recicladas, pior, recicladas de episódio para episódio seguinte.

O plano de Sam é compreensível, mas acaba por dar mais armas a Rowena com que lutar. Charlie parece ser um alvo fácil na guerra psicológica, um traço que Rowena faz bem e que a série deveria ter explorado mais, mas sem ser tão evidente como foi com Crowley. O plano é compreensível, mas fraco, já que internamente a casa rapidamente colapsa e porque Sam é horrível a mentir, especialmente para alguém como Dean.

O Rei anda manso, preocupado com o aborrecimento do seu reino e numa de passivo-agressivo. Não é capaz de matar a mãe nem o melhor amigo, mas quer sempre saber mais para usar contra eles. Mantém-no entretido para nós, mas eu quero um Crowley activo. Não chega. Os Stynes não me chamam especialmente à atenção, principalmente porque a série tem sido um pouco vago com eles. Quando recebemos um pouco mais detalhe, mesmo assim, meh… Frankensteins que usam ciência para se tornarem melhores. Percebo o apelo de criar um inimigo que não seja sobrenatural mas estes não me “coçam a orelha”. Haver sequer a possibilidade que um deles seja o carrasco de uma personagem como Charlie é para mim inaceitável. Espero que seja uma brincadeira de mau gosto da série e no próximo episódio a veja a respirar e de sorriso nos lábios. Charlie tornou-se fundamental para a série, não só como comic relief mas como eixo da relação entre Winchesters. Recuso-me a aceitar que se vêm livre dela, desta maneira. Seria mais uma personagem feminina forte que a série atirava “ao lixo”.

Há no entanto de admirar o momento de tensão criado pela parte final, algo que raramente acontece e que lança muito bem o final de temporada.

Partilha o post do menino no...