Supernatural: 6×13 – Unforgiven

[SPOILERS] “Supernatural” apresenta-se esta semana com um episódio mais… fraco? Melhor? Mais insosso? Mais melancólico? Difícil de dizer…

À semelhança do que referi no episódio anterior, este trocou-me as voltas no que toca à ordem dos acontecimentos. Os flashbacks e black&whites aparecem não antes, mas depois da revelação ser feita. Levando-nos a um Souless Sam ainda mais perverso e insensível do que tínhamos assistido até aqui. O irmão mais velho ainda conseguia ter mão nas atitudes, mas Samuel (Mitch Pileggi) limita-se a assistir a um filme macabro, sem nada poder/querer fazer. Desde um real espancamento, ao utilizar um inocente com presa fácil e até uma sessão de fuzilamento, tentou passar como um momento de piedade, mas não passou disso mesmo, fuzilamento.

Ver este lado negro acabou por ser o melhor do episódio para mim, que no fundo não acrescentou nada de novo ao espectador, ao Sam sim, mas não a nós…foi um episódio, no geral, pachorrento!

Quando Dean (Jensen Ackles) revela a Sam que todo o caso tem a ver com ele, ainda cheguei a temer se seria o Souless Sam o responsável pelos desaparecimentos, num momento de dupla personalidade enquanto o Sam Inocente navegava pelos flashbacks, ainda bem que estava errado. Sam (Jared Padalecki) joga muito com a carta “tu farias a mesma coisa” com Dean. Embora tivesse toda a legitimidade para querer resolver este caso, é notório a maneira como joga, inconscientemente, com a cartada “eu vim do inferno, deixa-me fazer as vontades” enquanto o aliviado irmão vai deixando.

O episódio termina com as consequências de todo aquele arranhar na Grande Muralha de Sam, com uma imagem bem elucidativa daquilo que Castiel já tinha avisado, uma alma que passou pelo pior. O que levanta novamente a questão: para onde, e a que velocidade, vai tudo isto. A descoberta de Sam, assim como o acordar para a realidade infernal do ultimo ano e meio aconteceram mais rápido do que estava à espera.

Não gosto de fazer reviews mais fracas, se faço a análise é porque gosto muito da série e, na verdade, nem sei bem se foi realmente mais fraco o episódio. Talvez tenha sido de mim, mas depois do anterior não estive tão aberto a este episódio. Esperava um maior aprofundar do trama, um episódio…diferente!

Nota para uma realização que abusou dos close-ups, alguns bem desnecessários.

Curiosidades:
1-É a segunda referência, em episódios seguidos, ao filme “Memento”.
2-Há uma referência a “Days of Our Lives”, uma telenovela americana. A piada é que Jensen Ackles participou nela…

O Melhor: Foi, e sempre será, as frases de Dean: “My spider senses are tingling”. “-Hate to say “I told you so.” “-You love to say “I told you so.” “-Actually, you’re right, I do love to say “I told you so.”

O Pior: A cena da cave, a pobre rapariga a descer as escadas depois do interruptor não funcionar e toda a gente saber que ia acontecer alguma coisa… Clichezito a mais. Não ser o episódio que eu, particularmente, estaria à espera.

Partilha o post do menino no...