Supernatural: 7×10 – Death’s Door

[SPOILERS]Dick is coming”…nem sei como deixei escapar esta da outra vez.

Surgia a dúvida, a mim pelo menos, de como iria ser abordado este episódio. Bobby morreu mesmo? Como vão os irmãos lidar com isso e que vão fazer para o ressuscitar? Bobby não morreu? Que vão inventar para o conseguir desviar, literalmente, daquela bala? Seria este o episódio memorial de Bobby? Nop, mais uma visita pelo inconsciente de um paciente em coma… A sério que este foi o episódio que decidiram transmitir antes do hiato?

Uma visita a Memory Lane. Primeiro com os irmãos na floresta, depois com a ex-mulher na cama, com Rufus (Steven Williams) na igreja, à mesa de jantar com os pais, até ao seu final e profundo lamento: a discussão com a mulher, três dias antes de ter de a matar. Quando pensei que sabia para onde este episódio estava a ir fiz pausa, fechei os olhos, abanei com a cabeça, pus novamente em play e disse “paciência, vamos la ver o que sai daqui”.

Bobby (Jim Beaver) está a fugir do seu reaper (Henri Lubatti) entre o labirinto das suas memórias. É “Inception” cruzado com tumores de “Anatomia de Grey”. Para Bobby conseguir escapar à morte tem de procurar a porta certa do seu consciente. isto é original… espera aí, ah pois, foi exactamente o que os irmãos fizeram da outra vez que andaram a visitar o “céu”.

Entretanto, na “vida dos vivos”, Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) lutam com a ideia de que o seu pai adoptivo poderá não acordar desta vez. A ironia de que uma bala pare de vez alguém que já sobreviveu a tantas é inaceitável para aqueles dois.

Ultrapassada a revolta inicial pela escolha do tema, o episódio acaba por tocar ao coração. Depois dos irmãos, Bobby é aquela personagem mais próxima de qualquer fã de “Supernatural” e vê-lo a lutar as suas próprias batalhas em vez das batalhas dos irmãos, ou do mundo, é algo novo. De destacar principalmente o confronto com o pai, a revolta e a confissão do orgulho pelos miúdos que adoptou (o close-up está muito bem conseguido). Mais uma definição de ironia: Bobby ser baleado no mesmo sitio em que baleou o seu pai, o mesmo homem que passou a vida a tentar evitar tornar-se.

Ed Singer: I’m your father. And you show your father respect.
Bobby: The day he deserves it. You drunken bully. Punching women and kids, is that what they call fatherhood in your day?
Ed Singer: You deserved it. Believe me, you were nothing but ungrateful.
Bobby: I was a kid! Kids ain’t supposed to be grateful. They’re supposed to eat your food and break your heart, ya selfish dick! You died and I was still so afraid I’d turn into you, I never even had kids of my own.
Ed Singer: Good. You break everything you touch.
Bobby: Well, as fate would have it, I adopted two boys and they grew up great. They grew up heroes. So you can go to hell

É óbvio que ninguém quer Bobby fora da vida dos irmãos. Eles não querem e nós precisamos daquela dose de acidez e resmunguice semanal. Mas este é um episódio digno de despedida, não acredito que seja, mas é digno. Acaba como um capitulo antes de uma pausa deve acabar, com um cliffhanger digno de deixar-nos ansiosos para o que aí vem. A minha suspeita passa por Bobby ficar e ajudar os irmãos em forma de fantasma, para no fim de temporada ser queimado e merecer uma despedida nos seus próprios termos. Mas por outro lado, a morte definitiva coloca os irmãos mais sozinhos do que nunca. Ao longo destas sete temporadas, os seus entes queridos têm sido mortos uma a um. O maior símbolo ser morto, deixando-os verdadeiramente sozinhos, enquanto enfrentam o inimigo mais difícil, tem o seu propósito e faz sentido. PS – Que melhor maneira, que maneira mais “Bobby”, de despedir-se dos seus “filhos” do que chamar-lhes pelo nome: idiotas!

Este décimo episódio acaba por ser um representativo da temporada até agora (e porque não, desta review, um pouco desinspirada): Não tem sido nada de espectacular, mas tem tido momentos, picos de qualidade aos quais os fãs se agarram. Venha 6 de Janeiro que estamos cá para o que der e vier.

O Melhor: O que começou com uma má ideia, acabou por tornar-se um bom episódio.
O Pior: Bolas Bobby, assustaste-me com a primeira metade do episódio!

Partilha o post do menino no...