Supernatural: 7×21 – Reading is Fundamental

[SPOILERS] O Universo tem uma maneira engraçada de gozar contigo. Na semana em que tive de fazer uma apresentação sobre a “invenção da escrita” e falar da linguagem cuneiforme gravada em tabletes de barro, Dean (Jensen Ackles) sai-me com este achado!

Por momentos pensei que estávamos na presença do martelo de Thor, mas seja lá o que fosse, foi o suficiente para alguém “lá em cima” dar nota e o corpo do Michael Jackson com 18 anos, já branco, ser “possuído”. Linguagem desconhecida, tempestades por todo o lado, bebés a nascer, Castiel (Misha Collins) a acordar para a vida…seja lá o que for, é importante o suficiente.

Quem acordou estranho (como sempre, produzindo efeitos de comédia sempre deliciosos) foi Castiel. O “sininho” da pedra chegou aos ouvidos de todos os anjos e Castiel não foi excepção. Embora não muito coerente, fornece informação preciosa aos irmãos, e inicia nele uma das conversas mais geniais “Supernatural”:

Castiel: “This is the handwriting of Metatron.”
Sam: “Metatron? You saying a Transformer wrote that?”
Dean: “No. That’s Megatron.”
Sam: “What?”
Dean: “The Transformer…it’s Megatron.”
Sam: “What?!”
Castiel: “Metatron. He’s an Angel. He’s the scribe of God.”

Meu Deus, como eu me ri! Para quem viu o filme “Dogma”, reconhece o nome (comédia fantástica), só que lá Metatron é a Voz de Deus. Há mais referências: sabem aquele “Boop” que Castiel faz ao Kevin? Deus, na forma de Alanis Morissete, faz o mesmo gesto no filme.

A Palavra de Deus…sempre a subir na hierarquia! Não fosse eu achar que a próxima temporada é a última, diria que qualquer dia estes dois estão a encontrar os pais de Deus. Não é preciso saber o que está lá escrito para perceber a importância de um objecto com o nome “Palavra de Deus”, mas dá sempre jeito ter há mão um profeta quer descodifica a mensagem e fornece a poção mágica.

Dean: All right,I’ll go handle Cass. Sam, will you please pick up the word of God?

É óbvio que Sam (Jared Padalecki) tinha de fazer algo tão estúpido como deixar o artefacto numa sala enquanto persegue Meg (estas coisas fazem-me perder a esperança na humanidade!). Já o disse algumas vezes e repito-me: ao contrário de alguns fãs, eu fiquei a gostar ainda mais de “Supernatural” com a entrada dos anjos. Talvez seja um pouco tendencioso da minha parte porque gosto da história, mística, da lenda angelical, acho-lhe piada! Com a vinda destes seres celestiais à série, vieram sempre grandes momentos. Confrontos entre personalidades bíblicas que a série soube quase sempre fazer tão bem e já sentia falta de momentos assim, de confrontos de titãs deste nível. Quando se olha para aquela sala nos hospital vê-se os Winchester, um demónio com uma espada anti-anjos, dois anjos a tentarem “salvar” um profeta e Castiel com piadas de “puxa o dedo”…perante este cenário só me ocorre uma pergunta: ONDE RAIO É QUE VOCÊS ANDARAM DURANTE A TEMPORADA TODA, PORRA?!

Não há muito mais a dizer do episódio. Na verdade vale principalmente pelo Angel Power que transbordou por todos os lados, por um avançar na história rumo à destruição dos Leviathans (ainda não tínhamos tido confronto anjo vs Leviathan, ficou claro quem são os mais fortes) e, principalmente, por Castiel. Poderia inundar esta review com frases geniais do Anjo Caído, críptico como sempre mas sem o barrete enfiado no rabo como era seu costume. Tivemos um Castiel hippie, sincronizado com o mundo, com a natureza, sem preocupações ou missões. Quer seja pelo efeito Lúcifer ou da consciência pesada, Cass está abalado. Mas tal como ele diz, precisará ele mesmo de ficar melhor?! Meg é uma personagem que por muito que apareça nos momentos definitivos da história, não me chama muito. Não sei explicar bem porquê, talvez não lhe veja grande propósito.

Pormenores deliciosos:

  • Os efeitos nos olhos do Michael Jackson, perdão, Kevin, foram muito bons.
  • As piadas com Dick continuam em grande ritmo: “Strange isn’t it, that someone would choose to be named “Dick“?” e “All right, so big daddy chomper lands here, he grabs himself some dick…
  • Castiel para Sam: “You seem troubled. Of course, that’s a primary aspect of your personality, so I sometimes ignore it.” Absolutamente priceless!

O Melhor: Castiel em versão Zen. Anjos em acção novamente.

O Pior: Que a série só tenha acordado agora para a abundante história que tem para explorar.

Partilha o post do menino no...