Supernatural: 8×03 – Heartache

[SPOILERS]I do a lot of cardio” *Arranca o coração*… awesome!

Quem segue regularmente as minhas reviews conhece este raciocínio: Quando as cosias não vão como esperamos em “Supernatural”, mais vale desligar o “espectativometro” e desfrutar do que estamos a ver. Nem tudo pode correr pelo melhor (Deus/Crowley sabe que nos últimos tempos tem sido assim), mas mais vale não implicar muito e aproveitar o que há. Não é comodismo, é desfrutar do momento. Estava com esta mentalidade na temporada passada, vou começar a estar nesta também.

Em relação ao episódio desta semana: Bla bla bla…os irmãos têm um caso novo… bla bla bla…andam na baby de um lado para o outro a investigar… bla bla bla…falam com o médico legista… bla bla bla…falam com um especialista qualquer que os ajuda a decifrar algo… bla bla bla…conversam sobre a relação que os une… bla bla bla…Sam (Jared Padalecki) quer mais uma vez desistir da vida de caçador… bla bla bla…o monstro/Deus/demónio continua a matar gente… bla bla bla…piadas do Dean (Jensen Ackles)… bla bla bla…alguém conta uma história de vida que leva os irmãos a encontrar o monstro a tempo do final… bla bla bla…monstro faz longo discurso e demora demasiado tempo a matar um dos irmãos… bla bla bla…monstro morre de maneira meio parva… bla bla bla…conversa no carro sobre uma vida normal… bla bla bla…Fim!

E pronto, foi mais um episódio de “Supernatural”. Com a dose de satisfação do costume, que tirou a barriga de misérias durante mais uma semana e que se esqueceu completamente que estava inserido na oitava temporada da série.

Notas finais:

  • Porque é que um Maia de 1000 anos se regista como dador de órgãos e depois se suicida?!
  • Mesmo que Eleanor tenha 80 anos, que duvido, sabemos que o Maia lhe escrevia cartas já nos anos 40…quando ela tinha uns 15 anos!
  • O melhor mesmo é esquecer que este episódio aconteceu e ver a promo do próximo na página de facebook “Supernatural (Portugal)“. Podem ver também fotos do elenco no TorontoCon do passado dia 7 de Outubro.

O Melhor: Os efeitos especiais quando a mulher-cujo-o-nome-não-me-interessa come o coração e quando morre no final.

O Pior: Nada!

Partilha o post do menino no...