Supernatural: 9×17 – Mother’s Little Helper

[SPOILERS] Quase dois meses depois volto a escrever-vos, qual carta de amor… enviada pelos correios em 1752. Nem me atrevo a pedir desculpa, espero que tenham ainda paciência para acompanharem/relembrarem comigo o final desta temporada. Dou chocolate aos resistentes!

Bem, parece que um dos efeitos secundários de uma adaga milenar é o alcoolismo. Embora seja um passo desnecessário no sofrimento de Dean (a série tem mesmo necessidade de levar até ao fundo o irmão sacrificado da temporada!), veremos o que é que isto dá. Verdade seja dita, entre o fundo da garrafa e aturar o Sam (Jared Padalecki), venha Crowley e escolha. O Alce anda ocupado com o episódio semanal que enche os espaços daquilo que queremos realmente ver, um caso que se adivinhava misterioso até vermos uma luz angelical ao fundo do túnel.

Crowley: “Go to Hell.” Dean: “Oh, if only.”

Dean (Jensen Ackles) lava a alma na lama que é Crowley e tem a consulta psiquiátrica mais estranha de sempre. o nosso herói raramente tem medo, por isso não acredito que seja isso que lhe esteja a incomodar a mente. Talvez seja mais o facto de ter gostado tanto da morte do senhor do museu, como Crowley, é preciso um viciado para ver outro. Já o arco de Sam ganha todo um novo interesse ao descobrirmos esta antiga freira Julia (Jenny O’Hara) que nos leva numa viagem ao passado. Gostava que Abbadon fosse uma presença mais assídua na série (até porque prevejo que ela “expire” no final da temporada), mas na forma de Josie também não está mau. Além disso, é sempre bom ter Henry de volta.

Crowley: “Just between us girls, how did you feel when you sunk the First Blade into Magnus’ head?”
Dean: “Not half as good as I’m gonna feel when it’s yours.”
Crowley: “Love it when you talk dirty.”

Enquanto me questionava o porquê daquele diálogo de Dean com o caloiro caçador que se preparava para estrear a faca no maior demónio das redondezas (não foi difícil de perceber a trama de Crowley), sorria com o facto de Abbadon/Josie ser a razão pelo qual os Winchesters terem linhagem até aos dias de hoje, ao salvar Henry. Aqueles pequenos ovos kinder que a série adora dar.

Sam: “You know, um, can I ask you something?”
Julia: “If it’s for a date, sorry. I never see anyone under 65. Too much drama.”

O final veio confirmar um dos dogmas de “Superntural”: se pensam que a série só é possível pela existência dos irmãos, enganem-se. O verdadeiro óleo essencial são os maus da fita que têm sempre de vomitar os planos antes de morrerem… Além de que esta revelação de que Abbadon está a construir um exército de soldados mais potentes em nada contribui para a história: 1- Acrescentam camadas a um mau da fita que não exploram no tempo presente e que provavelmente irá morrer em breve. 2- Não precisávamos de mais camadas para a temermos como adversário. É uma rival de Crowley (Mark Sheppard), a única que lhe mete medo! É preciso “dizer” mais alguma coisa depois disso?!

O Melhor: Abbadon, Henry e Josie.

O Pior: Castiel?! Demasiado ocupado a realizar o episódio para aparecer nele. Má exploração de Abbadon, a personagem precisava de mais screen time antes desta história da “Origem”. Não foi muito claro para mim de que modo é que a conversa com o falso caçador ajudou Dean a encontrar um propósito. Novas tecnologias ao serviço do além… o que vem a seguir? Skype com o Além?!

Partilha o post do menino no...